Article image
Patrick Rinzo
Patrick Rinzo17/08/2023 09:55
Compartilhe

O Uso da API Fetch JavaScript

  • #JavaScript

Resumo

Este artigo aborda a API Fetch em JavaScript, uma tecnologia fundamental para realizar requisições assíncronas a recursos da web. Uma breve discussão sobre conceitos básicos por trás da API Fetch, suas características distintas em comparação com as abordagens tradicionais e exemplos práticos de seu uso. Além disso, exploramos opções de manipulação de respostas, tratamento de erros e práticas recomendadas para maximizar a eficiência e a confiabilidade ao usar a API Fetch.

1. Introdução

A comunicação assíncrona entre aplicações web e servidores é uma necessidade fundamental para construir aplicações interativas e responsivas. O JavaScript desempenha um papel crucial nesse cenário, com a evolução constante de tecnologias que permitem a comunicação com recursos externos. A API Fetch é uma dessas tecnologias, introduzida no ECMAScript 6 (ES6), que oferece uma abordagem moderna e flexível para fazer requisições assíncronas em aplicações web.

FLANAGAN (2011) descreve o JavaScript como a linguagem de programação fundamental para a Internet, sendo empregado pela maioria dos sites contemporâneos. Ele está presente de forma onipresente nos navegadores modernos da Web em vários dispositivos. Complementando o HTML e o CSS, ele forma uma tríade essencial para o desenvolvimento da Web. Embora seja diferente do Java, o JavaScript compartilha algumas semelhanças sintáticas e evoluiu além de sua função original de script para uma linguagem dinâmica, de alto nível e versátil, adequada aos paradigmas de programação funcional e orientada a objetos.


2. Conceitos Básicos da API Fetch: 

A API Fetch fornece uma interface simples e baseada em promises para realizar solicitações HTTP assíncronas. A sintaxe básica envolve a chamada da função fetch() com a URL do recurso desejado como argumento. A função retorna uma promise que se resolve em uma resposta (objeto Response) representando a resposta do servidor.

Segundo a documentação do MDN WEB DOCS (s.d.) a API Fetch oferece uma definição abrangente de objetos de solicitação (Request) e resposta (Response), permitindo seu uso flexível em contextos futuros, como service workers, Cache API e casos em que sejam necessárias respostas programáticas personalizadas. Ela também abarca conceitos como CORS e semântica de cabeçalhos de origem HTTP, unificando definições dispersas. Para solicitar recursos, o método fetch() é empregado, sendo disponibilizado globalmente em interfaces como Window e WorkerGlobalScope. O método requer um caminho para o recurso e retorna uma promise que se resolve em uma resposta, independentemente do sucesso. Métodos adicionais são disponibilizados para manipular o conteúdo do corpo da resposta. Embora seja possível criar diretamente solicitações e respostas usando os construtores Request() e Response(), é mais comum que sejam gerados como resultados de outras ações da API, como o FetchEvent.respondWith() em service workers.

3. Características Distintas

Comparada às abordagens tradicionais, como o uso de XMLHttpRequest, a API Fetch apresenta várias vantagens notáveis:

• Sintaxe Simplificada: A API Fetch é baseada em promises, simplificando a estrutura de código necessário para realizar e tratar requisições assíncronas.

• Suporte Nativo para JSON: A API Fetch lida de forma transparente com o formato JSON, transformando as respostas JSON em objetos JavaScript.

• Melhor Manipulação de Headers: A manipulação de cabeçalhos HTTP é mais intuitiva e flexível com a API Fetch.

• Gerenciamento de Cookies: A API Fetch lida automaticamente com cookies, tornando a comunicação com serviços autenticados mais conveniente.

• Tratamento de Erros Simplificados: O tratamento de erros é simplificado com o uso de promises e a capacidade de detectar respostas não-ok (status HTTP fora da faixa 200-299).

No artigo “Fetching Data with Ease: A Comprehensive Guide to the Fetch API em JavaScript” o autor menciona que as vantagens da API Fetch estão em sua sintaxe de fácil utilização baseada em promises, facilitando o código assíncrono direto. Demonstrando flexibilidade ao oferecer suporte a vários formatos de dados e métodos HTTP, atendendo a diversas necessidades de aplicativos e desfrutando de compatibilidade com navegadores modernos. No entanto, as desvantagens incluem a falta de suporte a navegadores mais antigos, o que exige estratégias de fallback, e a adesão às restrições CORS, exigindo a configuração no lado do servidor para a busca segura de dados entre domínios. Embora robusta no tratamento de erros, a API Fetch não possui mensagens de erro detalhadas, o que dificulta a depuração eficaz. 


4. Exemplos de Uso

A seguir, são apresentados exemplos concretos que ilustram a aplicação prática da API Fetch em diferentes cenários:

Requisição GET Simples:

fetch('https://api.example.com/data')
.then(response => response.json())
.then(data => console.log(data))
.catch(error => console.error('Erro:', error)); 


Nesse caso, a requisição GET é usada para obter dados de um servidor de API. A resposta é processada como formato JSON e os dados são exibidos no console.

Requisição POST com Dados:

fetch('https://api.example.com/post-data', {
method: 'POST',
headers: {
  'Content-Type': 'application/json'
},
body: JSON.stringify({ key: 'value' })
})
.then(response => response.json())
.then(data => console.log(data))
.catch(error => console.error('Erro:', error));

Aqui, uma requisição POST é realizada com dados em formato JSON. A resposta é tratada e exibida após ser convertida em objeto JavaScript.

Estes exemplos ilustram a flexibilidade da API Fetch ao permitir solicitações e tratamentos de resposta personalizados, demonstrando a sua eficácia em interações com recursos externos.

NAMAL (2022) ilustra a extração de dados JSON provenientes de uma API ativa (https://www.thecocktaildb.com/), a qual constitui um banco de dados colaborativo e aberto de bebidas e coquetéis disponibilizados globalmente. Os dados JSON obtidos são apresentados no console para análise. Exemplo do código abaixo e saída na figura 1.

<html>
<head>
<script type="text/javascript" src="https://code.jquery.com/jquery-1.12.0.min.js"></script>
<meta charset="utf-8">
<meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
<link rel="stylesheet" href="https://maxcdn.bootstrapcdn.com/bootstrap/3.4.1/css/bootstrap.min.css">
  <script src="https://maxcdn.bootstrapcdn.com/bootstrap/3.4.1/js/bootstrap.min.js"></script>
</head>
<body>
 <table class="table table-bordered">
 <tbody id="data">
 </tbody>
</table>   
<script>


getData();


async function getData(){
     const response= await fetch('https://www.thecocktaildb.com/api/json/v1/1/search.php?s=margarita%')
     console.log(response);
     const data= await response.json();
     console.log(data);
     length=data.drinks.length;
     console.log(data);
     var temp="";
     for(i=0;i<length;i++)
     {
        temp+="<tr>";
        temp+="<td>"+data.drinks[i].strDrink+"</td>";
        temp+="<td>"+data.drinks[i].strInstructions+"</td>";
     }


  document.getElementById("data").innerHTML=temp;
   }
</script>
</body>
</html>


Figura 1. Output

image

FONTE: NAMAL, 2022.

5. Manipulação de Respostas e Tratamento de Erros

A API Fetch permite uma variedade de manipulações de respostas, como o uso de métodos do objeto Response para acessar informações do cabeçalho e do corpo da resposta. O tratamento de erros pode ser feito usando os métodos do objeto Response ou capturando erros na cadeia de promises.

De acordo com IJAZ (2023) os erros de resposta abrangem chaves de API inválidas, problemas de conexão de rede ("Failed to fetch" ou "Network error") e problemas de CORS. Para resolver esses problemas, as estratégias envolvem o exame minucioso das mensagens de erro, a validação da conectividade de rede, o ajuste das configurações de CORS do servidor e a resolução de erros de código de status no lado do servidor (como por exemplo, "404 Not Found").

6. Considerações de Segurança 

Embora a API Fetch ofereça uma interface mais moderna para requisições HTTP, é essencial considerar as práticas de segurança recomendadas, como a validação de dados de entrada e o uso de protocolos seguros (HTTPS) ao realizar requisições.

O JavaScript, uma linguagem de programação amplamente utilizada, não está imune aos desafios de segurança. REYES (2022) enfatiza que o código de qualidade, a avaliação prudente de bibliotecas de terceiros, desconfiar da entrada do usuário, proteger-se contra a injeção de JSON, fortalecer a proteção de cookies, defender-se contra a poluição de protótipos, proteger a comunicação do navegador entre objetos de janela, criptografar as comunicações entre dispositivos de rede, carregar recursos externos com segurança e implementar uma política de segurança de conteúdo são etapas integrais para aumentar a segurança dos aplicativos JavaScript.

6. Conclusão


Em síntese, a API Fetch em JavaScript se destaca por sua centralidade na efetivação de requisições assíncronas em aplicações web. Desde a introdução dos conceitos fundamentais até a exploração prática, incluindo suas características distintivas em relação a abordagens tradicionais, a API Fetch se revela como um instrumento versátil e robusto para interações com recursos online. A flexibilidade permitida pela estrutura de promessas e a capacidade intrínseca de lidar com dados JSON reforçam sua relevância. A análise aprofundada de manipulação de respostas e tratamento de erros aprimora não apenas o entendimento dessas operações, mas também a capacidade de enfrentar desafios no processo de comunicação com servidores externos. Ademais, a ênfase na segurança, através da adoção de práticas recomendadas, sublinha a importância de uma implementação sólida e confiável. Nesse contexto, a API Fetch se apresenta como uma ferramenta essencial para desenvolvedores, potencializando a criação de aplicações JavaScript interativas, eficientes e seguras no panorama contemporâneo da web.

Referências 

Fetching Data with Ease: A Comprehensive Guide to the Fetch API in JavaScript - SFDC Knowledge Articles. Disponível em: <https://technogeeksfdc.com/2023/02/20/fetching-data-with-ease-a-comprehensive-guide-to-the-fetch-api-in-javascript/>. Acesso em: 16 ago. 2023. 

FLANAGAN, D. JavaScript: The Definitive Guide. n. 6, 2011. 

IJAZ, U. Error handling with the Fetch API. Disponível em: <https://rapidapi.com/guides/error-handling-fetch>. Acesso em: 16 ago. 2023. 

MDN WEB DOCS. Fetch API - APIs da Web | MDN. Disponível em: <https://developer.mozilla.org/pt-BR/docs/Web/API/Fetch_API>. Acesso em: 16 ago. 2023. 

REYES, A. F. JavaScript security best practices for securing your applications | Synopsys. Disponível em: <https://www.synopsys.com/blogs/software-security/javascript-security-best-practices/>. Acesso em: 16 ago. 2023.

Compartilhe
Comentários (0)