THAISA RODRIGUES
THAISA RODRIGUES16/06/2024 11:50
Share

Até onde, afinal, designers precisam compreender códigos?

    O que HTML tem a ver com Design?

    Sou Thaisa, estudante de Product Design e Front-End, e embaixadora da DIO. Em uma Masterclass ministrada por Marcelo Sales, deparei-me com um questionamento que desejo explorar neste artigo: até que ponto os designers precisam compreender códigos? Este tema torna-se ainda mais relevante quando considerado no contexto da acessibilidade web.

    Acessibilidade como Fundamento, não como um “Checklist”

    Começo com uma citação de John Foliot, principal especialista em acessibilidade da consultoria norte-americana Deque:

    “Uma apresentação sobre acessibilidade que contém vídeos sem legenda (por exemplo) DEVE ser considerada mais um exemplo de "...faça o que eu digo, não o que eu faço..." - perpetua a mentalidade de que a acessibilidade é um recurso ("íamos fazê-lo, mas o tempo acabou...") e isso, mais do que a falta de competências técnicas, é o maior problema hoje.”

    Ou seja, a acessibilidade precisa ser planejada desde o início e não implementada posteriormente como uma "feature". Comparando com a engenharia, não devemos construir uma casa e depois voltar para instalar a encanação e a fiação elétrica. A acessibilidade deve ser pensada desde o início do projeto, envolvendo todos os profissionais para que sua implementação seja correta.

    O Papel do UX Designer na Acessibilidade

    Um UX designer é responsável por proporcionar uma boa experiência aos usuários, independentemente de suas habilidades. Isso significa que esses profissionais devem estar por dentro das melhores práticas para fornecer um conteúdo acessível a todos. Eles devem entender os conceitos de acessibilidade para promover testes, compreender como leitores de telas funcionam e conhecer outras tecnologias assistivas. Além disso, precisam saber quais recursos de assistência existem, como hierarquizar conteúdos e garantir que esses conteúdos funcionem bem em ambientes responsivos.

    Segundo a WebAIM:

    "Designers devem compreender os princípios básicos de acessibilidade para criar experiências que sejam acessíveis a todos os usuários, independentemente de suas habilidades."

    Integração com Equipes de Desenvolvimento

    Designers são responsáveis por definir especificações técnicas e ajudar outras equipes, como os desenvolvedores, a aplicar corretamente a experiência. A equipe de desenvolvimento é a segunda maior responsável pelo sucesso da implementação da acessibilidade. O conhecimento de HTML e CSS é particularmente importante quando se trata de acessibilidade web. Designers que entendem como implementar práticas de acessibilidade podem garantir que seus designs sejam inclusivos desde o início.

    Divisão de Responsabilidades vs. Habilidades Híbridas

    Existe uma escola de pensamento que defende uma divisão clara de responsabilidades: designers focam no design visual e de interação, enquanto desenvolvedores lidam com a implementação técnica. No entanto, há uma tendência crescente em favor de designers com habilidades híbridas, conhecidos como "designer-developers". Esses profissionais podem se mover facilmente entre design e desenvolvimento, trazendo maior flexibilidade e velocidade ao processo de criação, além de ajudar na implementação da acessibilidade web.

    Conforme destacado pelo InVision Blog:

    "Designer-developers são cada vez mais valorizados por sua capacidade de criar e implementar designs de maneira integrada, resultando em um processo de desenvolvimento mais ágil e coeso."

    Benefícios do Conhecimento Básico de Codificação

    Em minha visão, não é estritamente necessário que os designers se tornem especialistas em codificação, mas um conhecimento básico em HTML e CSS é altamente benéfico, especialmente no que diz respeito à acessibilidade. Isso melhora a colaboração, a eficiência e a qualidade dos produtos finais. Ferramentas de prototipagem modernas e uma compreensão das práticas de acessibilidade também são importantes.

    Exemplos Práticos

    Textos Alternativos e Imagens

    • Design: Escolher imagens relevantes que complementam o conteúdo.
    • Desenvolvimento: Adicionar atributos alt descritivos nas tags <img> para garantir que usuários de leitores de tela entendam o contexto das imagens.

    Navegação por Teclado

    • Design: Criar uma navegação clara e lógica.
    • Desenvolvimento: Implementar navegação por teclado usando atributos como tabindex e focos visíveis para usuários que não utilizam o mouse.

    Contraste de Cor

    • Design: Selecionar paletas de cores que fornecem contraste suficiente para visibilidade.
    • Desenvolvimento: Usar ferramentas de verificação de contraste e ajustar o CSS conforme necessário para atender aos critérios de acessibilidade.

    A habilidade híbrida de combinar design e desenvolvimento com foco em acessibilidade resulta em produtos mais inclusivos e funcionais. Profissionais com essas habilidades são capazes de integrar acessibilidade em todas as etapas do processo de design e desenvolvimento, criando experiências que são acessíveis para todos os usuários, independentemente de suas habilidades. Aprender HTML e CSS permite que os designers criem protótipos interativos, ajustem rapidamente o design com base no feedback e implementem soluções técnicas de forma eficiente.

    Para o futuro, é essencial que os designers continuem a expandir seus conhecimentos técnicos, garantindo que a acessibilidade não seja uma reflexão tardia, mas uma parte integral do processo de design desde o início. Somente assim podemos construir uma web verdadeiramente inclusiva e acessível para todos.

    Share
    Comments (0)